• 1
  • 2
  • 3

Tarot

Conta a estória, que o Taro é um sistema antigo de conhecimento que foi ensinado através dos tempos em escolas secretas de mistério. Então primeiramente podemos concluir que o Taro era um livro “da Sabedoria”, na época procurado para aconse-lhamento nos mais diferentes assuntos.
Quando os sacerdotes (herdeiros da Sabedoria da Atlântida), previram a queda da civilização egípcia, ocultaram esses conhecimentos sob a forma de laminas de um baralho e o legaram aos ciganos, sabendo que, com a adivinhação e devido ao hábito do jogo, tais conhecimentos chegariam a posteridade.

Isto feito, o grandioso sistema simbólico do Livro da Sabedoria – O Tarô – foi dado à humanidade sob a forma de um baralho de 78 cartas. Esse jogo, feito para atravessar séculos, como realmente aconteceu, reúne e comunica todos os conhe-cimentos dos homens, refletindo as suas concepções do mundo.

Nessas 78 cartas, divididas em 22 arcanos maiores e 56 arcanos menores – os sábios egípcios encerraram toda a sabedoria que tinham herdado, todos os conhecimentos que possuíam, toda a verdade que lhes era acessível a respeito de Deus, do Universo e do Homem. A estrutura fixa do sistema impediu qualquer deturpação, e o Taro ainda hoje em dia permanece como uma fonte de sabedoria para quem possui olhos para ver e ouvidos para escutar sua linguagem silenciosa. (Arcano: do latim Acanum, significa um mistério cujo conhecimento é indispensável para compreender um grupo determinado de fatos, leis ou princípios. Sem o conhecimento do Arcanum, nada pode ser feito no momento que surge a necessidade de tal compreensão. Arcanum é um mistério acessível a uma inteligência suficientemente diligente nessa esfera).

Estes arcanos, pelas investigações sucessivas de inúmeros pesquisadores do assunto, chegaram até nós em uma forma simbólica de cores, figuras geométricas números e letras. De acordo com a tradição na época estas figuras foram colocadas nas paredes das galerias subterrâneas, onde o neófito penetrava para uma série completa de provas. O Tarô é considerado um esquema da cosmovisão dos Iniciados da antigüidade.

No início do século 19, os 22 arcanos maiores foram vinculados as 22 letras do alfabeto hebraico por Eliphas Levi. A cada letra desse alfabeto foi atribuído um valor numérico definido. A passagem pelos 22 arcanos é um verdadeiro aprendizado de como podemos conduzir nossa existência, através dos conhecimentos adquiridos e da nossa intuição. O caminho nos força a ver que nada do que procuramos pode ser achado fora de nós mesmos: existe somente dentro de nós. A iniciação em qualquer empreendimento, consiste em essência, na busca da Consciência – do que vai ser empreendido e - no Grau do Poder de Rea-lização – do que se vai realizar.

Já os 56 arcanos menores representam os 4 caminhos, associados aos 4 elementos: ar, terra, água e fogo, que a alma deve percorrer para alcançar a perfeição. Cada caminho é constituído de 14 laminas.

No século 20, o Taro recomeçou nos anos 45 na Europa e 50 nos Estados Unidos. Hoje no mundo existem mais de 250 diferentes baralhos de taro: Taro de Thot, de Rider-White, Mitológico, dos Índios, dos Animais, das Flores, das Bruxas, dos Boêmios, de Marselha, of Transition, Egípcio, Maçonaria, Cigano etc.

Imprimir Email

Mais postagens

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9